sábado, 10 de dezembro de 2016

PROJETO CRESCER SAUDÁVEL


Em parceria com o projeto “Crescer Saudável”, a Biblioteca Escolar D. Carlos I levou a cabo em todas as salas do Jardim de Infância do Agrupamento variadas sessões de promoção da leitura e da literacia para a saúde. Estas sessões, que tiveram portanto como pano de fundo hábitos de manutenção de uma boa saúde e de um crescimento saudável, decorreram nas seguintes datas:  15 de novembro – Salas 1 e 2 da EB1 de Lourel; 16 de novembro – Salas 2 e 3 do JI da Várzea; 21 de novembro – Salas 1 e 2 do JI da EB1 D. Carlos I; 29 de novembro –  Salas 1 e 2 do JI do Ral; 6 de dezembro – JI de Morelinho; 7 dezembro – Sala 1 da EB1 da Várzea.


Guardando em mente o Programa Nacional de Saúde Escolar (PNSE/2015), instrumento orientador das políticas nacionais no que à promoção da saúde em meio escolar diz respeito, e o apelo que faz para uma congregação de esforços de todos os profissionais e serviços envolvidos na sua implementação, no sentido de uma melhoria da saúde em Portugal, a Biblioteca Escolar D. Carlos I aliou-se a esta causa promovendo, em contexto de biblioteca, a adoção de estilos de vida mais saudáveis e a melhoria do nível de literacia para a saúde da comunidade educativa. A literacia para a saúde traduz-se num conjunto de competências cognitivas e sociais que determinam a motivação e a capacidade dos indivíduos para compreender e utilizar a informação de forma a promover e a manter uma boa saúde, estendendo-se o seu alcance à cura e prevenção da doença.

Este projeto assenta ainda na ideia de que todas as crianças têm direito à saúde e à educação e, por conseguinte, deverão ter a oportunidade de frequentar uma escola que promova a saúde e o bem-estar. Para além da promoção de estilos de vidas saudáveis, o mesmo procura contribuir para a melhoria da qualidade no ambiente escolar, para a minimização dos riscos de saúde e para a redução do impacto dos problemas de saúde em meio escolar.
As sessões desenvolvidas, e a desenvolver ao longo do ano lectivo de 2016/17 pela Biblioteca Escolar, seguem de perto o primeiro eixo estratégico que estrutura o PNSE, o da “Capacitação” que prevê áreas de intervenção tais como a saúde mental e competências socioemocionais, hábitos de sono e repouso, educação para os afetos e a sexualidade, higiene corporal e saúde oral, educação postural, prevenção de substâncias psicoativas, e até comportamentos aditivos sem substância.
Capacitar é muito mais do que ter informação de saúde e compreendê-la. É estar habilitado a usá-la e sentir-se competente para tomar decisões. Capacitar as crianças a partir dos três anos de idade é fundamental, primeiro porque os comportamentos e as crenças estabelecidas no início da vida tendem a persistir na vida adulta, e depois porque o ser capaz de tomar decisões torna-as mais habilitadas para o desempenho dos seus papéis sociais.
A partir da exploração do livro “José vai ao médico” de Maria Inês de Almeida, os alunos do Jardim-de-Infância tiveram a oportunidade de conhecer instrumentos médicos e identificar comportamentos indicadores de uma higiene de vida saudável. Também, como atividades de pós-leitura os alunos realizaram jogos para o desenvolvimento das capacidades literácitas e de consciencialização fonológica.
Na parte final da atividade os alunos contactaram diretamente com um dos objetos médicos estudados e divertiram-se a auscultar o batimento cardíaco dos colegas.
Ao longo do segundo e terceiros períodos a Biblioteca Escolar D. Carlos I voltará a estar com estes jovens leitores para mais histórias que terão como objetivo o desenvolvimento de competências socioemocionais. Ao reconhecerem as suas próprias emoções, as crianças, mesmo as de tenra idade, tornam-se mais resilientes e aprendem a gerir de forma mais responsável a tomada de decisões, sejam essas relacionadas com a sua saúde ou com as suas relações interpessoais.

Sem dúvida que o projeto “Crescer Saudável” ao incorporar o chamado “SEL”, Social and Emotional Learning, e portanto ao promover as competências socioemocionais, alcançará a médio e longo prazo, os tão almejados objetivos de influenciar as crianças e os jovens para o sentido de pertença à escola, a diminuição de comportamentos de risco e o sucesso pessoal e académico.

Sandra Maria Pratas e Sousa

Professora Bibliotecária do AE D. Carlos I

Sem comentários: