terça-feira, 16 de junho de 2015

Uma tenda de histórias ...no Arraial 2015

O dia 12 de junho de 2015 foi a data escolhida para a EB D. Carlos I celebrar a sua festa de final de ano, o já habitual Arraial.
A BECRE aliou-se a esta celebração dinamizando uma Tenda de Histórias. Ao contrario de muitas barraquinhas onde se adquiriam peças de artesanato, produtos agrícolas, bolos caseiros e muitas outras iguarias, aqui tudo era de graça. "Quanto custa ouvir uma história? Nada?! Então quero ouvir duas se faz favor! E depois também posso fazer um desenho?"

O Arraial da D. Carlos I fechou com chave de ouro um ano de muito trabalho mas de muitas recompensas. Agora, resta-nos desejar a todos os nossos estimados leitores umas ótimas férias de verão com muitas e inesquecíveis leituras!




sexta-feira, 5 de junho de 2015

Luísa Ducla Soares visita D. Carlos I

Dia cinco de junho, sexta-feira dourada, os alunos da EB1 da D. Carlos I receberam finalmente a tão aguardada visita da grande escritora Luísa Ducla Soares. Apesar de agora estar reformada, não encontra descanso, passando a maior parte dos seus dias nas escolas e nas bibliotecas escolares, e hoje, apesar de ser sexta-feira, dia de estar com os seus netos, não queria desapontar as crianças. A visita consistiu num périplo pelas salas de aula dos alunos do 1.º Ciclo da EB D. Carlos I e culminou numa longa sessão de autógrafos. 

Na sala da Professora Paula Antunes os alunos presentearam-na com uma leitura encenada de A Menina Verde e com uma profusão de ilustrações sobre a história trabalhada. 


Os alunos do 1.º e 2.º A juntamente com a Professora Susana Diniz, a partir do seu famoso livro Abecedário Maluco, criaram rimas divertidas com os seus nomes que depois ilustraram ao sabor da sua imaginação.


Os alunos da Professora Dulce Ferreira por sua vez, leram em voz alta a história de “A Fada Palavrinha”, uma história inventada por eles e que tinha por personagem principal uma menina que sonhava ser como a grande e talentosa Luísa Ducla Soares. 
Depois desta história que a deixou visivelmente emocionada - “Gostei muito e fiquei muito comovida!”-, os alunos ofereceram-lhe um pequeno livrinho com a ilustração da história narrada. A escritora exclamou “Está uma maravilha. Lindo, lindo!”, aproveitou para contar-lhes a origem da história de A Fada Palavrinha e o Gigante das Bibliotecas, e prometeu guardar a singela oferta com muito carinho no museu das coisas que lhe oferecem e que um dia talvez seja aberto ao público, para fazer companhia a uma Fada Palavrinha em açúcar que lhe ofereceram há muito tempo atrás e que se conserva admiravelmente até hoje.  

Num segundo momento e acompanhados por instrumentos musicais - muitos deles feitos pelos próprios com a ajuda da Professora de Educação Musical-, os alunos recitaram poemas em verso sobre a proteção dos animais. 


Depois deste momento musical que Luísa Ducla Soares considerou muito bonito, afirmando ter gostado das diversas estrofes e sobretudo do tema, já que é uma grande defensora dos direitos dos animais. Acrescentou ainda em tom de brincadeira que gosta tanto de animais que até podia viver no zoo, desde que não fosse numa jaula. 

Sendo este um tema muito querido à escritora, Luísa Ducla Soares relembrou aos mais pequenos que este planeta não é só dos homens, mas também dos animais. E das plantas! Acrescentou uma menina. Falou da extinção de muitos seres vivos e um aluno deu como exemplo o pássaro dodó – uma aprendizagem feita numa recente visita ao Oceanário de Lisboa. Luísa falou de golfinhos em vias de desaparecimento e relembrou com pena que já só existem cerca de trinta ursos panda no mundo inteiro. E também lembrou as crianças maltratadas, as crianças com fome, as crianças-soldado. “É tão triste assistir a animais maltratados. Seria tão bom que fôssemos amigos dos animais e das crianças! Exclamou por fim e com sentido pesar. 
No decorrer de algumas perguntas Luísa Ducla Soares explicou que os escritores são pessoas como as outras, que fazem o que as outras fazem, também fazem compras em hipermercados, mas que escrevem e leem, leem muito!”.  

À pergunta sobre o motivo pelo qual escrevia mais para crianças, Luísa respondeu com humor que era assim uma espécie de shampoo dois em um, escrevia para crianças porque gostava muito de escrever e gostava muito de crianças. E a sorrir explicou que gostar muito de ler foi o que a levou a ser escritora e também o querer fazer algo que interessasse os outros. 

Na sala do Professor Luís Malveiro, esperava-a uma adaptação em verso da famosa história de Os Ovos Misteriosos. Luísa Ducla Soares gostou muito das ilustrações e do texto e gostou sobretudo pela forma como a história foi contada, tendo mesmo felicitado os alunos por terem dado entoação às frases como verdadeiros atores. 




Também aqui falou um pouco de si e explicou que gosta muito das coisas com humor: “A boa disposição faz falta em tudo e ajuda a aprender”. E precisamente com muito humor respondeu que como era adulta também gostava de ler livros para os mais crescidos: Pessoa, Saramago, Gedeão, Eça de Queirós… Mas que obviamente também gosta de ler Sophia, Torrado, Mota, Pina, etc. Contou ainda que em pequena gostava muito de ler e por isso começou a escrever por volta dos dez anos... e que terá escrito cerca de trezentos livros, embora publicados só tenha aí uns cento e quarenta. Mas não foi só escritora, também foi jornalista , tradutora, professora de Inglês, e trabalhou trinta anos na Biblioteca Nacional que tem mais de três milhões de livros. “Ohhhhh… “ exclamaram os alunos!



Da parte da tarde e no auditório da D. Carlos I, Luísa Ducla Soares sentou-se entre os alunos do Jardim de Infância para assistir à leitura encenada de O Caranguejo Verde por parte dos alunos das Professoras Gracinda Bettencourt, Marta Rodrigues, Paula Francisco

Depois os alunos da Professora Paula Francisco recitaram ainda uma adaptação em verso do livro A Princesa da Chuva

Perante todos os presentes  Luísa Ducla Soares elogiou o trabalho dos pequenos grandes atores e chamou-lhes poetas, deixando professoras e alunos cheios de orgulho. 



No final de uma visita cheia de emoções, Luísa Ducla Soares não se escusou a assinar todos os autógrafos e desenhos que lhe iam pousando no colo e na mesa. Muitos quiseram autografar a sua mais recente aquisição - O Jantar dos Animais - e outros os muitos livros que trouxeram de casa. Meninos e meninas vieram ainda oferecer-lhe desenhos com muitos corações e beijinhos, retratos pueris da escritora com grandes olhos azuis e longos cabelos de oiro, e todos dedicados “à melhor escritora do mundo”!!!







A presença de Luísa Ducla Soares foi uma lição de simplicidade dada por uma grande senhora que continua a demonstar um genuíno prazer em estar com as crianças e em responder com sinceridade e infinita candura às suas muitas perguntas.

Obrigada Luísa Ducla Soares por ser a Fada Palavrinha de tantas e tantas crianças e de neste dia ter feito a felicidade das nossas. 





Sandra Pratas e Sousa
Professora Bibliotecária

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Dia Mundial da Criança na BECRE

O dia 1 de Junho de 2015, Dia Mundial da Criança, não poderia ter começado da melhor maneira na BECRE D. Carlos I. 

Sob a orientação do Professor Nuno Costa, docente de Educação Musical da EB D. Carlos I, os alunos do 5.º D, e com o objetivo de relembrar os direitos das crianças, confecionaram um conjunto de lindíssimas almofadas ilustrando os direitos inalienáveis das crianças que decidiram ofertar à Biblioteca Escolar.

Esta dádiva realizou-se ao som do tema "Somos crianças".




As mesmas foram oferecidas à BECRE e estarão em exposição no Arraial da EB D. Carlos I no dia 12 de Junho de 2015. 

A BECRE agradece muito esta oferta que certamente contribuirá para tornar ainda mais acolhedora a nossa sala do conto.




















De igual modo, e no período da tarde,as Professoras Dora Justino, Cristina Didelet e Sandra Pratas levaram novamente à cena as leituras encenadas para a Semana da Leitura mas agora para todos os alunos do 1.º Ciclo da EB D. Carlos I e para os Encarregados de Educação convidados. 

Com base na obra Príncipes, Rãs e Feiticeiros, a Professora Dora Justino com os seus alunos do 5.º A transportaram-nos para o misticismo e o colorido do Brasil a partir da história "Os Amores de Uirapuru-conto tradicional do Brasil".


Também a partir da mesma obra, a Professora Cristina Didelet, com a ajuda dos jovens atores do  7.º D, 7.º E e 7.º F, levou a plateia até aos ritmos e cheiros quentes de África com o conto "As Filhas de Faram - Conto tradicional da Guiné".

Por sua vez a a Professora Sandra Pratas e os alunos do 3.º e 4.º ano da EB D. Carlos I encenaram a leitura da "O Caranguejo Verde" da grande Luísa Ducla Soares.