segunda-feira, 9 de outubro de 2017

FORMAÇÃO DE UTILIZADORES

No âmbito das atividades do Mês das Bibliotecas Escolares 2017, decorreram na Biblioteca Escolar, quatro sessões de Formação de Utilizadores dirigidas a todas as oito turmas do 5.º ano da EB D. Carlos I. As mesmas decorreram nos dias 28 de setembro- 5.º A e 5.º D; 4 de outubro - 5.º E e 5.º F; 11 de outubro 5.º B e C; e 8 de novembro - 5.º G e 5.º H.

A partir da exploração do documento Guia do Utilizador 2014-17, os alunos ficaram a conhecer as várias zonas funcionais da Biblioteca Escolar bem como os serviços e recursos que a mesma disponibiliza.


Os alunos tiveram ainda a oportunidade de conhecer as regras de comportamento e de utilização da Biblioteca Escolar e, através da realização de um jogo de caça ao livro, conhecerem de forma simplificada a organização da Biblioteca por cores e números de acordo com as regras de CDU - Classificação Decimal Universal.


Todos os alunos foram ainda informados das atividades mensais dinamizadas pela Biblioteca Escolar dirigidas a este ciclos de ensino, nomeadamente “A caça ao Erro”; “O Problema do Mês”; " Quebra-Cabeças"; “O Escritor do Mês”, para além das atividades periódicas tais como as exposições e os concursos de escrita criativa e tantos outros.

Para além da formação de utilizadores, os alunos do 5.º ano foram conduzidos numa viagem no tempo até aos primórdios das Bibliotecas na antiga Mesopotâmia, mais especificamente em Ninive, passando pela mítica biblioteca de Alexandria, e de volta às mais avançadas bibliotecas digitais da era contemporânea.

A formação culminou com um jogo online que tu também podes jogar e aproveitar para testar a tua cultura geral. 


FORMAÇÃO DE UTILIZADORES

CONCURSO DE DESENHO DAS BECRE "CELEBRANDO A DIVERSIDADE"

Em todo o mundo, o mês de outubro é aproveitado para reforçar a visibilidade das Bibliotecas Escolares e a consciencialização acerca do seu valor nas aprendizagens. A International Association of School Librarianship (IASL) propôs, como anualmente faz, um tema aglutinador – LIGANDO COMUNIDADES E CULTURAS –, sendo todo o mês de outubro amplamente celebrado pelas Bibliotecas Escolares. 

O presente concurso insere-se no âmbito destas comemorações e destina-se aos alunos do 1.º e 2.º anos do 1.º Ciclo do Agrupamento D. Carlos I e decorre até ao dia 31 de outubro de 2017. 

Os melhores trabalhos serão publicados no Blog da Biblioteca do AE D. Carlos I. 

O 1.º lugar vencedor de cada ano de escolaridade recebe ainda um espetacular prémio surpresa e um diploma emitido pela Biblioteca Escolar. 

CONCURSO DE ESCRITA CRIATIVA DO MIBE 2017

Em todo o mundo, o mês de outubro é aproveitado para reforçar a visibilidade das Bibliotecas Escolares e a consciencialização acerca do seu valor nas aprendizagens. A International Association of School Librarianship (IASL) propôs, como anualmente faz, um tema aglutinador – LIGANDO COMUNIDADES E CULTURAS –, sendo todo o mês de outubro amplamente celebrado pelas Bibliotecas Escolares. 

O presente concurso insere-se no âmbito destas comemorações e destina-se aos alunos do 2.º e 3.º ciclos e ao 3.º e 4.º anos do 1.º Ciclo do Agrupamento D. Carlos I e decorre até ao dia 31 de outubro de 2017. O texto a apresentar nas Bibliotecas Escolares do AE D. Carlos I terá de ser obrigatoriamente subordinado ao tema “LIGANDO COMUNIDADES E CULTURAS”. 


O texto vencedor será publicado no Blog da Biblioteca e os três primeiros lugares do 1.º Ciclo, 2.º Ciclo e 3.º Ciclos, receberão ainda um diploma pela sua participação.

O/a vencedor/a de cada ciclo de ensino receberá um espetacular prémio surpresa!




domingo, 1 de outubro de 2017

MÊS INTERNACIONAL DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES 2017

LIGANDO COMUNIDADES E CULTURAS é o tema definido pela International Association of School Librarianship (IASL) para o Mês Internacional da Biblioteca Escolar (MIBE).

Vejam aqui o que as Bibliotecas Escolares do Agrupamento D. Carlos I estão a preparar para este mês tão especial: 




O concurso de ideias “Ligando comunidades e culturas” é a iniciativa que a RBE lança este ano para assinalar o MIBE. 
O seu objetivo principal é fomentar um debate em torno do tema. Desse debate surgirão as ideias-chave e as estratégias para que a biblioteca se apresente como o lugar onde se ligam comunidades e culturas.

Até 3 de novembro, os alunos são desafiados a refletir, a pôr a sua criatividade em ação e a apresentar uma ideia. O desafio consiste na criação de um jogo original que permita aos utilizadores da biblioteca abordar a temática proposta para o MIBE, de uma forma aliciante e lúdica. Os participantes deverão seguir com rigor o estipulado no regulamento.

À ideia vencedora será atribuído o prémio Teresa Calçada.

Para 2017, o Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares estabelece 23 de outubro como Dia da Biblioteca Escolar em Portugal.



quarta-feira, 5 de julho de 2017

BOAS FÉRIAS A TODOS OS LEITORES!

Depois de muitas leituras e de muitos conhecimentos adquiridos, chegaram as tão esperadas Férias de Verão. Ficam por agora os bons momentos vividos e as boas recordações.

Em jeito de despedida, os alunos do 3.º e 4.º A ofereceram à Professora Bibliotecária um belíssimo poema cheio de candura e amizade.

Para estes queridos alunos segue, como agradecimento, este magnifíco poema de Peter Handke - in Asas do Desejo, de Wim Wenders - que é também uma homenagem à infância, o período dourado da vida em que a lança da inocência perdurará para sempre balançando numa árvore.



Canção da Infância - Peter Handke

Quando a criança era criança,
andava balançando os braços,
desejava que riacho fosse rio e
que rio fosse torrente e
a poça d’agua, o mar
Quando a criança era criança,
não sabia que era criança,
tudo era cheio de vida e
a vida era uma só!
Quando a criança era criança,
não tinha opinião,
não tinha hábitos,
sentava de pernas cruzadas,
saia correndo,
usava um topetinho e
não fazia caretas pra fotografias!
Quando a criança era criança,
era o tempo destas perguntas:
Porque eu sou eu e não você?
Porque estou aqui e não lá?
Quando começou o tempo, e
onde termina o espaço?
Será que a vida sob o sol
nada mais é que um sonho?
Será que o que vejo, escuto e cheiro
não é mais que uma miragem do mundo
anterior ao mundo?
Será que o mal existe mesmo e
pessoas realmente más?
Como pode? Eu que sou eu,
não existia antes de existir e
que alguma vez eu,
aquele que sou não serei mais quem sou?
Quando a criança era criança,
refugava espinafre, ervilhas,
pudim de arroz e couve-flor.
Agora come tudo e
não só porque precisa.
Quando a criança era criança,
acordou numa cama estranha, e
hoje em dia o faz sempre
muitas pessoas pareciam bonitas outrora.
Hoje muito raramente.
Só com sorte.
Tinha uma visão precisa do paraíso,
agora só pode adivinhar.
Não conseguia imaginar o nada,
hoje treme só de pensar.
Quando a criança era criança,
jogava com entusiasmo.
Agora só se entusiasma
com seu trabalho.

Quando a criança era criança,
vivia de maçãs e pão
era suficiente e ainda é assim.
Quando a criança era criança
as framboesas caíam em suas mãos e
ainda é assim.
Nozes deixavam sua língua áspera, e
ainda o fazem.
Chegando ao topo de cada montanha,
queria outra mais alta.
Em cada cidade
procurava outra maior.
E ainda o faz.
Subia nas árvores para colher cerejas.
Era tímido diante de estranhos, e
ainda o é.
Aguardava a primeira neve e
ainda a aguarda da mesma forma.
Quando a criança era criança,
arremessou uma lança de madeira contra uma árvore.
Ainda balança na árvore até hoje.

quarta-feira, 21 de junho de 2017

ATELIER DE LEITURA E ARTES PLÁSTICAS_OKUPA 2017

No dia 21 de Junho de 2017, a Biblioteca Escolar encerrou as suas atividades pedagógicas com chave de ouro: os alunos inscritos no OKUPA foram convidados a participar num atelier de leitura e artes plásticas.

Num primeiro momento os alunos ouviram a leitura dramatizada do primeiro capítulo de O Rapaz de Bronze de Sophia de Mello Breyner Andresen, ao que se seguiu um jogo de identificação de todas as plantas, árvores e flores descritas no capítulo "As Flores".


Depois da análise textual e estilística deste primeiro momento da obra, os alunos deram início à construção dos diversos espaços que compõem o maravilhoso jardim onde decorre a ação da história, recorrendo para isso a cartolinas, plásticos, pedras, e sobretudo a muitas flores e verduras da região de Sintra.

Os trabalhos resultaram magnificamente e estão em exposição na galeria Almada Negreiros da EB D. Carlos I onde aguardam a votação por parte dos utilizadores da BECRE. O grupo que alcançar mais votos até ao final da próxima semana, receberá um prémio para cada um dos seus elementos.  

Confiram aqui as suas criativas produções e escolham o melhor trabalho!



A todos os nossos leitores desejamos ainda umas boas férias de verão e muitas leituras memoráveis!


sexta-feira, 16 de junho de 2017

UMA TENDA DE HISTÓRIAS NO ARRAIAL D. CARLOS I 2017

Seguindo a tradição de anos anteriores, a Biblioteca Escolar D. carlos I participou no Arraial da escola com a sua habitual Tenda das Histórias.

Com o forte calor que se fazia sentir, esta tenda foi um verdadeiro óasis para quem se quis refrescar com uma sombra e uma agradável leitura.

A mesma foi decorada com trabalhos realizados pelos alunos do 5.º e 9.º anos no âmbito do Plano Nacional de Cinema.

Fiquem com alguns dos divertidos momentos que marcaram o final de mais um ano letivo na família D. Carlos I.


























quinta-feira, 15 de junho de 2017

PLANO NACIONAL DE CINEMA

Pelo segundo ano consecutivo, a Biblioteca Escolar D. Carlos I participou no Plano Nacional de Cinema. 

O Plano Nacional de Cinema é uma iniciativa conjunta da Presidência do Conselho de Ministros, através do Gabinete do Secretário de Estado da Cultura, e do Ministério da Educação e Ciência, pelo Gabinete  do Secretário de Estado do Ensino Básico e Secundário, e operacionalizado pelo Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA), pela Cinemateca e pela Direção-Geral da Educação (DGE). 

O Plano Nacional de Cinema (PNC) está previsto como um plano de literacia para o cinema e de divulgação de obras cinematográficas nacionais junto do público escolar e pretende formar públicos escolares, despertando nos jovens o hábito de ver cinema, bem como valorizá-lo enquanto arte junto das comunidades educativas.



No Agrupamento D. Carlos I, e sobretudo na Biblioteca Escolar, temos como missão a promoção das várias literacias: da leitura, da informação e dos media e acreditamos que um programa para a literacia do cinema junto dos nossos alunos ajudaria a consolidar essa missão. Gostaríamos igualmente de nos continuarmos a associar às iniciativas de aplicação da Nova Lei do Cinema que preveem a divulgação de obras cinematográficas de importância histórica, e em particular das longas-metragens, curtas-metragens, documentários e filmes de animação de produção nacional.



Também, a educação para a cultura cinematográfica, possível através do desenvolvimento deste programa, continuará a ser uma boa estratégia para promover o trabalho articulado entre a Biblioteca Escolar e os Docentes, com vista ao planeamento e ensino contextualizado das literacias da informação e dos media nos objetivos e programas curriculares, e para explorar a natureza, linguagem e discurso deste medium e as implicações individuais e sociais do seu uso. 

Acreditamos ainda que a implementação deste projeto contribui não somente para a gestão e uso pessoal da informação, como contribui também inequivocamente para o desenvolvimento de valores e atitudes indispensáveis à cidadania e à aprendizagem ao longo da vida.  

No ano letivo de 2016-17 o projeto do Plano Nacional de Cinema foi reformulado pela Equipa da BECRE, pelo que em vez de serem tratados vários documentos, optou-se por trabalhar aprofundadamente um filme no 5.º ano e outro no 9.º ano. 

Assim, todas as turmas do 9.º ano e Cursos de Educação e Formação trabalharam O Cão Branco de Samuel Fuller nas seguintes datas: 13 fevereiro (9.º A); 6 março (9.º D); 13 março (9.º E); 20 março (9.º F); 27 março (9.º G); 3 abril (9.º C); 8 maio (9.º B); 22 maio (VHOTS).  

Por sua vez, todas as turmas do 5.º ano trabalharam o filme Os Coristas de Christophe Barratier nas seguintes datas: 
4 maio (5.º B); 11 maio (5.º C); 18 maio (5.º A); 22 maio (5.º E); 29 maio (5.º F); 5 junho (5.º G); 6 junho (5.º H); 6 junho (5.º D). 

As referidas sessões decorreram ao longo do segundo e terceiro períodos e tiveram lugar às segundas-feiras das 14.15h às 15.00h.
























E precisamente porque as temáticas tratadas em ambos os filmes se inscrevem diretamente no currículo de Educação para a Cidadania, a Biblioteca Escolar D. Carlos I solicitou a todos os Diretores de Turma a disponibilização de dois blocos de 45 m desta disciplina para o visionamento destas obras cinematográficas. 

Após este visionamente integral, cada turma, num total de 347 alunos, participou numa sessão orientada pela Equipa do PNC e a decorrer na Biblioteca Escolar que teve como objetivo a análise fílmica – forma e conteúdo - do filme e a participação num Atelier de Artes e Escrita Criativa. 

Estes ateliers foram dinamizados pelos elementos que integram a equipa PNC na escola: Cristina Didelet, Sandra Hormigo e Sandra Pratas.






Confiram aqui os melhores trabalhos:







quarta-feira, 14 de junho de 2017

PROJETO CRESCER SAUDÁVEL_3.º PERÍODO

Ao longo do terceiro período, a Biblioteca Escolar D. Carlos I levou a cabo em todas as salas do Jardim de Infância do Agrupamento, variadas sessões de promoção da leitura no âmbito do projeto “Crescer Saudável”.

As sessões deste período tiveram como ponto de partida os problemas de visão e formas de os corrigir. Assim, tomando como ponto de partida a leitura e exploração do livro Uns óculos para a Rita, de Luísa Ducla Soares e recomendado pelo Plano Nacional de Leitura, os pequenos leitores tiveram a oportunidade de conhecer a morfologia e o funcionamento do globo ocular bem como os defeitos de visão de que podem sofrer, tais como a miopia, o astigmatismo, a hipermetropia, a presbiopia, o daltonismo, o estrabismo e cataratas. 

Na segunda parte da atividade e a partir da leitura do livro Não Quero Usar Óculos de Carla Maia de Almeida, cada criança ilustrou o seu par de óculos e atribuiu-lhe poderes mágicos. 


Muitos quiseram óculos para se tornarem invisíveis, outros óculos para ver a Mãe e o Pai, óculos para não ter medo do escuro, óculos para viajarem para dentro de si, óculos para se tornarem em tudo o que desejarem, enfim, óculos de todos os feitios e de todas as cores e relicários de todos os sonhos! 

E a conclusão foi que é bom usar óculos. Para além de nos ajudarem a ver o mundo com nitidez, umas bonitas armações servem ainda de moldura a uns lindos olhos. 


Estas sessões, em que se procurou novamente aliar a leitura à literacia para a saúde, decorreram nas seguintes datas:  16 maio – Sala 1 do JI da EB1 D. Carlos I; 18 maio – Salas 1 e 2 da EB1 de Lourel ; 23 maio – Salas 1 e 2 do JI do Ral; 13 junho – Salas 2 e 3 do JI da Várzea; 14 junho – Sala 2 do JI da EB1 D. Carlos I; 14 junho – Sala 1 da EB1 da Várzea. 


 JARDIM DE INFÂNCIA D. CARLOS I - SALAS 1 E 2:


JARDIM DE INFÂNCIA DO RAL: 




JARDIM DE INFÂNCIA DE LOUREL:


JARDIM DE INFÂNCIA DA VÁRZEA:






                                                                                                                                                                                                                                                              Há crianças que resistem a usar óculos porque acham que eles as desfavorecem. Mas não reparam que os óculos servem de moldura a uns lindos olhos. Com eles o mundo, de repente, torna-se mais rico, mais nítido e colorido. Conseguem ver a formiga atarefada, o botão que caiu na carpete, a pintinha do i, o berlinde que rebolou para longe.Passam de alunos desatentos a garotos interessados. E começam a ter boas notas…                                                                                                                                                       Plano Nacional de Leitura_Livro recomendado para o 1º ano de escolaridade, destinado a leitura orientada. 





"Ontem fiquei a saber uma coisa. Vou ter de usar óculos. Foi o que a mãe disse. Eu acredito sempre nela, mas desta vez não quero. Não quero nada usar óculos!"



Plano Nacional de Leitura
Livro recomendado para o 1º ano de escolaridade, destinado a leitura autónoma.

terça-feira, 13 de junho de 2017

EXPOSIÇÃO "O LIXO NÃO É FIXE!"

No âmbito do Projeto Eco-Escolas e sob orientação das Professoras Inês Galvão, Emília Marques e Paula Mendes, os alunos do 8.º B assumiram a missão de serem repórteres para o ambiente e registaram vários exemplos de lixo deitado para o chão  no recinto escolar.

Deste modo, e com o objetivo de alertar para a preservação ambiental, essa reportagem integrou a exposição "O LIXO NÃO É FIXE!" que estará exposta até ao final do mês de junho na galeria Almada Negreiros da EB2,3 D. Carlos I. 











segunda-feira, 5 de junho de 2017

EXPOSIÇÃO MAQUETES DO 6.º F

Durante o terceiro período e no âmbito da disciplina de Educação Visual, os alunos do 6º F empenharam-se na divertida tarefa que foi idealizar e construir uma maquete representando uma cidade, vila ou aldeia.

Este projeto começou com um desenho pintado a lápis de cor, onde cada aluno inventou parte de uma cidade, vila ou aldeia imaginária, como se tivesse tirado uma fotografia vista de frente, representando-a depois vista de cima.

Após a idealização do projeto,  os alunos do 6.º F puderam passar à fase da construção da maquete, utilizando para isso caixas de cartão como suporte, caixinhas diversas, feltro, vários papéis, pedrinhas, madeiras, tintas, cola, e claro, muita criatividade!

Com este trabalho os alunos trabalharam a capacidade de transpor um projeto a duas dimensões para três dimensões e desenvolveram noções de espaço. O mesmo permitiu ainda trabalhar, de forma visível e acessível, os pontos de vista, perspetiva e projeção, dando a possibilidade a cada um de materializar um espaço por si criado.

A exposição estará patente na Biblioteca Escolar D. Carlos I até ao final do mês de Junho. 

Prof.ª Sandra Hormigo